O sempre aguçado Marcelo Rezende usou alguns minutos do “Cidade Alerta”, na Record, nesta quarta-feira (5), para criticar o ator José Mayer, acusado de assédio sexual pela figurinista Susllem Meneguzzi Tonani, de 28 anos. O apresentador não gostou quando o ator veterano colocou a culpa “em sua geração” para justificar a atitude machista em relação à profissional.

“Ontem, ao olhar [a carta], a segunda coisa que me deu mais aborrecimento (depois do assédio) foi o fato [de José Mayer] não reconhecer que ele é o problema. Primeiro ele disse que era influenciado pelo personagem [Tião, em ‘A Lei do Amor’], para dias depois o próprio Zé Mayer desmentir-se. E na carta que ele escreve diz ‘que é um erro da minha geração’. Erro da minha geração uma ‘ova’. É um erro seu. Eu pertenço a sua geração, trabalhei por 23 anos na empresa onde o senhor trabalha, talvez com tanta ‘banca’ ou mais, e nunca assediei ninguém. Agora, se esconder mais um vez, dizendo que a sua geração é machista, talvez tenha sido na sua casa, porque na minha casa eu fui criado como um homem, com respeito à mulher, sabendo o limite de onde chegar, sabendo ser elegante, educado. Então, pelo menos uma vez na sua vida, diante de tantos erros, diga assim ‘eu sou o errado’. E ponto. Porque você não tem o limite de saber respeitar as mulheres”, afirmou.

No desabafo, Rezende cutucou ainda um outro ator, Oscar Magrini, que havia dito “a mulher tem que se colocar para não instigar o outro” durante debate sobre assédio promovido pelo programa “Encontro com Fátima Bernardes”.

“E hoje piorou, com um tal de Oscar Negrini (sic), que foi lá e disse que a mulher não pode instigar o homem (…) Quer dizer que a mulher não pode andar de minissaia, que o homem pode ‘invadir’, avançar a linha?! O que precisa é ter ética, moral, respeito, formação de berço”, avaliou.

Por fim, o apresentador da Record aconselhou a TV Globo a dar um ponto final na história porque, assim, as pessoas vão achar que só tem machistas na emissora. “É melhor a TV Globo dar um ponto final nisso, porque vão ver que só tem machistas [por] lá”, concluiu.

Caso José Mayer

Em depoimento à “Folha de S. Paulo”, Susllem relatou vários episódios em que foi vítima de comportamento inadequado do ator da Globo — em um deles, em fevereiro deste ano, ele teria colocado a mão esquerda na genitália dela.

Em carta aberta divulgada, Mayer admite ter errado e passado dos limites, e afirma que “tristemente, sou sim fruto de uma geração que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas.”

Um protesto contra o assédio foi realizado nas dependências da TV Globo, na última terça-feira. Funcionárias foram ao trabalho nos Estúdios Globo, nova denominação do Projac, no Rio de Janeiro, com uma camiseta com os dizeres: “Mexeu com uma, mexeu com todas”.

Nas redes sociais, funcionários, colaboradores e executivos da emissora postaram fotos com a mesma frase.

Opinião polêmica de Magrini
Oscar Magrini fez um comentário polêmico durante um bate-papo sobre assédio, quando a apresentadora Fátima Bernardes relembrou o ato que aconteceu na Globo, em apoio à figurinista que denunciou José Mayer.
Em meio à discussão, o ator disse. “A mulher também neste sentido tem que saber se colocar para não instigar o outro”, opinou.

Fátima Bernardes interrompeu a declaração e se posicionou sobre o comentário: “Na verdade, Magrini, mais do que instigar, o outro tem que respeitar independentemente de como ela está.”

Deixe seu comentário

comentários