10 curiosidades interessantes sobre o pulso humano

175

Um dos métodos mais antigos empregados para monitorar a saúde humana é a medição manual da frequência cardíaca através do pulso. Contudo, não pense que a pulsação é interpretada da mesma forma por todo mundo, apenas como algo relacionado com os batimentos do coração. Na verdade, diferentes culturas levam diferentes aspectos em consideração, resultando em métodos bem curiosos de diagnóstico.

Na medicina tradicional chinesa, por exemplo, existem 12 tipos de pulso diferentes — consistindo em seis para cada punho —, e cada um está relacionado com diferentes órgãos. Já a medicina ayruvédica, desenvolvida na Índia há milhares de anos, interpreta o padrão do ritmo cardíaco como uma indicação sobre o equilíbrio dos três “doshas”, ou seja, das energias básicas que influenciam a alma e o corpo. Confira a seguir mais curiosidades interessantes:

Publicidade

1 – Os antigos egípcios mediam a pulsação em diversas partes do corpo, pois acreditavam que o coração — considerado por eles como fonte de todas as emoções, sabedoria, memória etc. — se comunicava através de todos os membros;

2 – Já os gregos antigos — como o famoso médico Herófilo — consideravam quatro características na hora de tomar o pulso de um paciente: frequência, força, ritmo e duração;

3 – Com o tempo, os médicos começaram a questionar o que as características consideradas pelos gregos significavam exatamente, e como elas podiam ser interpretadas corretamente através do toque dos dedos. Assim, no século 18, um médico inglês começou a medir as pulsações durante períodos de 1 minuto, inventando uma técnica rudimentar de monitorar a frequência cardíaca;

4 – As técnicas desenvolvidas pelos chineses que, como mencionamos, consideram 12 tipos de pulsos diferentes, começaram a surgir durante a Dinastia Han — de 206 a.C. a 220 d.C. — e hoje em dia contam com o suporte de tecnologias como o eletrocardiograma para fornecer diagnósticos;

5 – A antiga medicina islâmica, também conhecida como Unani Tibb, se baseou em elementos das tradições gregas, chinesas e ayruvédicas para desenvolver seus próprios métodos de diagnóstico. Assim, médicos como Avicena e Al-Razi se preocuparam em descobrir quais eram as relações entre pulsação e doenças, e inclusive existe uma lenda de que Avicena usava seu talento em medir a frequência cardíaca como detector de mentiras;

6 – Outro conto interessante envolvendo médicos islâmicos do passado se refere a um clínico que nem sequer precisava tocar seus pacientes para medir as pulsações. Segundo a história, ele colocava um fio ao redor do punho do doente e sentia as vibrações produzidas pelos batimentos;

7 – Como a interpretação das pulsações requer bastante habilidade e sensibilidade, alguns médicos gregos da era medieval chegaram a estudar música para melhorar suas técnicas;

8 – De acordo com a OMS, o coração humano deve bater em uma frequência entre 60 e 100 vezes por minuto. Aliás, o coração de um adulto saudável bate aproximadamente 100 mil vezes por dia, 36 milhões de vezes por ano e, aos 70 anos de idade, ele terá batido cerca de 2,5 bilhões de vezes;

9 – A frequência cardíaca das mulheres normalmente é mais rápida do que a dos homens;

10 – Um estudo recente realizado por cientistas suecos demonstrou que quando um coral canta, seus ritmos cardíacos ficam sincronizados.

Deixe seu comentário

comentários